ir para a página do ISCAL no Facebook ir para o canal Youtube do ISCAL ir para a página do ISCAL no Linkedin

Clube de leitura "Tratado sobre as Partidas Dobradas"

20171122 clube de leitura

[22 de novembro de 2017 .:. 17h00 .:. ISCAL, Fundo Antigo da Biblioteca]

O Clube de Leitura ISCAL está de volta!

Desta feita com um livro de relevante e significativo valor, o Tratado sobre as Partidas Dobradas, Por meio da qual pódem aprender a arrumar as contas nos Livros, e conhecer dellas, todos os Curioſos impoſſibilitados de cultivar as Aulas deſta importantiſſima Sciencia, &c. Segunda impreſsão mais correcta, e emendada. Lisboa: na Officina de Simão Thaddeo Ferreira, 1792.
Antes de 1755, a gestão das finanças estatais ainda não tinha saído da Idade Média. O método utilizado pelos colectores de impostos, os almoxarifes, assim pelos tesoureiros da Casa dos Contos, era ineficaz. O desconhecimento do método contabilístico por partidas dobradas, facilitava os erros e não evitava a fuga aos impostos e à fraude, como também não permitia calcular o lucro ou prejuízo atempadamente.
Mas a situação modificou-se quando o Ministro do Rei D. José, Sebastião José de Carvalho e Mello, Marquês de Pombal que na implementação de uma série de reformas, aproveita a destruição da Casa dos Contos pelo terramoto, centralizando a governação e organizando o Erário Régio, adopta o uso da contabilidade por partidas dobradas por profissionais competentes, maximizando desse modo as receitas fiscais e possibilitando a verificação das contas do Estado. Criado em 1761, pelo Marquês de Pombal, tal como a Aula do Comércio, a primeira escola pública de contabilidade, o Erário Régio veio a tornar-se numa das reformas administrativas mais inovadoras de toda a Europa.
Na senda dessa veia reformista, assistimos à publicação do Tratado sobre as Partidas Dobradas, Por meio da qual pódem aprender a arrumar as contas nos Livros, e conhecer dellas, (…), o primeiro livro a tratar do tema “partidas dobradas” em Português, com uma primeira impressão em 1764, em Turim, para mais tarde ser impresso, em Portugal, em 1792, devido à boa aceitação que teve.

livro tratado sobre as partidas dobradas m

Sobre o livro falar-nos-á o nosso convidado o Professor António da Trindade Nunes, presidente do ISCAL, cujo currículo e experiência são por si só uma mais-valia para o nosso Instituto.

António da Trindade Nunes fez a sua carreira académica, antes de entrar na Universidade, pela via técnica, tendo, por isso realizado o designado Curso Geral do Comércio e depois o Instituto Comercial de Lisboa (actual ISCAL). Concluiu a Licenciatura em Finanças em 1975, no ISCEF / ISE (hoje ISEG). Posteriormente fez o mestrado na Universidade Aberta / ISCAL, finalizado em 2008. Irá iniciar, muito em breve, um programa de doutoramento. Em termos académicos realizou provas públicas para ser reconhecido como professor especialista pelo IPL. É contabilista Certificado (desde 1975) e Revisor Oficial de Contas (exame em 1979). Em termos profissionais, trabalhou na ex-Arthur Andersen (actual Delloite) entre 1977 e 1981, ano em que transitou para a Price Waterhouse (depois PwC após a fusão com a Coopers & Lybrand em 1998), onde permaneceu até 2002. Foi promovido a Partner em 1990. Depois dessa data, até 2015, integrou, como sócio, outras empresas de auditoria e consultoria. Foi assistente convidado do ICL /ISCAL entre 1975 e 1977. Regressou como docente ao ISCAL em 1986, onde ainda se mantem, como regente de cadeiras do mestrado e da licenciatura. Integrou vários órgãos do ISCAL, nomeadamente Conselho Técnico Científico e Conselho de Representantes, tendo sido eleito presidente em dezembro de 2015.

Autoria do texto: Serviço de Informação e Documentação

 

  pdfCartaz do evento